-Site-

Este é um site sobre a série Bandidos na TV (com o título em inglês “Killer Ratings”). O site foi idealizado pela jornalista Hélida Tavares, que atuou como uma das produtoras da série em Manaus.

 

-Série bandidos na tv-

 

A série Bandidos na TV mostra o caso do apresentador e ex-deputado Wallace Souza, que morreu em 2010. Ele foi acusado de ser chefe de uma facção criminosa e de ordenar a morte de traficantes rivais para exibir em seu próprio programa, o extinto “Canal Livre”.

Contada em sete episódios, a série estreou em 31 de maio de 2019, na plataforma de streaming Netflix.

Os episódios apresentam histórias e testemunhos de profissionais que trabalharam no programa, autoridades que atuaram no caso, familiares de Wallace e pessoas que conheceram o político. A complexa trama inclui acusações de conspiração, revelações sobre disputas políticas e como a violência atingiu e atinge Manaus de diversas formas.

Quem foi Wallace Souza

Eleito deputado estadual em 1998, Wallace comandava, junto com os irmãos Carlos e Fausto Souza, um programa de TV que abordava casos policiais. Posteriormente, ele foi acusado de ser chefe de uma facção criminosa e de ordenar morte de traficantes rivais para exibir em seu próprio programa. Cassado em 2009 por conta das denúncias, Wallace passou a sofrer com graves complicações no sistema digestivo e faleceu em 2010.

 

-PERSONAGENS-

 

wallace-souza - série bandidos na tv

Wallace Souza – Apresentou o programa Canal Livre entre os anos de 1996 e 2000. O programa mantinha a linha criminal, expondo cenas de crimes ocorridos em Manaus, além de usar o viés da assistência social, no intuito de ajudar pessoas de baixa renda familiar. Com o Canal Livre, Wallace Souza se tornou cada vez mais conhecido e entrou para a política, sendo eleito deputado estadual por três vezes consecutivas (1998, 2002 e 2006), com votações recordes. Wallace também era ex-policial civil, tendo sido expulso da corporação por suspeitas de desvio de combustível.

thomaz-vasconcelos - série bandidos na tv

Thomaz Vasconcelos – Era Secretário de Inteligência na época do Caso Wallace e membro da Força Tarefa. Foi um dos grandes nomes da polícia na investigação. Thomaz comenta que, no depoimento de Moa, ficava claro que a quadrilha se tratava de uma organização criminosa hierarquizada e com propósitos bem altos. A ideia era que o Sistema de Segurança ficasse desacreditado, e assim, acontecer a troca da cúpula da Segurança (Delegado-Geral, Secretário de Segurança e Secretário de Inteligência), e assim assumirem o comando da Segurança Pública no Estado.

raphael-souza - série bandidos na tv

Raphael Souza – Filho de Wallace Souza, preso e condenado a 9 anos de prisão pela morte de um traficante de Manaus, ocorrido em janeiro de 2007. Para o réu, a delegada que comandava a investigação foi manipulada pelo Secretário de Inteligência da Polícia na época, Thomaz Vasconcelos. Foi convidado, mas não aceitou gravar. Em diversos momentos é mostrado na série, em material de arquivo da época.

moacir-jorge-pessoa-moa - série bandidos na tv

Moa – Ex-policial militar, Moacir Jorge Pereira da Costa, o “Moa”, é a peça chave que dá início a toda investigação do caso Wallace. Denunciou Wallace em 2008 como líder de um grupo de extermínio e crime organizado no Amazonas. De acordo com a denúncia, Raphael Souza, filho de Wallace, também participava do grupo, que cometia crimes para dar audiência ao programa Canal Livre.

Confirmou que os seguranças do ex-deputado (policiais ou ex-policiais, em sua maioria) eram orientados pelo próprio parlamentar a “tocar o terror” em Manaus, ou seja, praticar homicídios, quebrar paradas de ônibus, placas, vitrines, tudo com o intuito de desmoralizar o trabalho de inteligência da Secretaria de Segurança Pública.

Paula Litaiff - Série Bandidos na TV

Paula Litaiff – Jornalista amazonense que trabalhou em diversos veículos de comunicação do Amazonas. Atualmente é sócia em um portal de notícias e correspondente de O Globo, no Amazonas. As reportagens da jornalista ajudaram a desvendar os mistérios envolvendo os irmãos Souza. Paula narra as impressões da época e sua apuração dos fatos.

divanilson-cavalcante - série bandidos na tv

Divanilson Cavalcanti – Delegado da Polícia Civil e um dos membros da Força Tarefa na ocasião do Caso Wallace. Na série, conta o desenrolar das investigações e como foi descobrir que o programa Canal Livre era usado para mostrar as mortes de traficantes que o próprio Wallace Souza mandaria matar.

willace souza - série bandidos na tv

Willace Souza – Filho do ex-deputado Wallace, Willace relembra na série como acompanhou todo o início da investigação contra o pai. Enquanto a população acompanhava pelos jornais, ele via, aos 14 anos, o pai começar a definhar. Nos 17 meses seguintes, Willace Souza viveu o que ele chama de “tsunami” que atingiu a família. Agora, faz planos de seguir os passos políticos de Wallace.

vanessa lima - série bandidos na tv

Vanessa Lima – Ex-produtora e diretora do programa de TV “Canal Livre”, denunciada por Patrícia Almeida, irmã de um traficante conhecido como “Frankezinho do 40”. Na ocasião, Vanessa foi indiciada por associação ao tráfico de drogas. Na série, ela fala que foi presa injustamente e que também acreditava na inocência do ex-chefe.

 

-CURIOSIDADES-

 

 

-1-

A primeira vez que o diretor da série Bandidos na TV, Daniel Bogado, ouviu a história de Wallace Souza foi em 2009, quando o caso ganhou repercussão nacional e internacional, e o mundo ficou hipnotizado pela história de um apresentador de TV brasileiro que ordenava assassinatos de criminosos e depois enviava equipes para filmá-los, a fim de aumentar a audiência de seu programa.

 

 

-2-

Em janeiro de 2017, Daniel Bogado foi a Manaus, capital do Amazonas, onde ficou durante um mês, pesquisando o caso a fim de filmar um trailer.

 

 

-3-

A série levou 17 meses para ser filmada, sendo uma grande parte dela em Manaus, onde se criou um time de produção de apoio, incluindo profissionais locais.

 

 

-4-

Para a área de pesquisas e produção de entrevistas, foram selecionadas as jornalistas Hélida Tavares (com experiência nos grandes veículos do Amazonas e ex-chefe de Comunicação da Secretaria de Segurança Pública do Governo do Amazonas) e Wânia Lopes (ex-diretora da Fundação Televisão e Rádio Cultura do Amazonas – Funtec).

 

 

-5-

Também atuou na produção, a jornalista e repórter Ana Senna, que chamou atenção pelas suas descobertas e foi entrevistada na propria série contando sua experiência.

 

 

-6-

A produção contou com equipes editoriais, jurídicas, de produção, relações públicas e marketing nos EUA, Brasil e Reino Unido, e chamadas editoriais e de produção quinzenais com até 16 pessoas.

 

 

-7-

Os sets de gravação em Manaus foram diversos: quartos de hotel, galpão de fábrica vazio, escritórios e outros. Um dos sets foi o antigo Tropical Hotel, que está fechado desde maio de 2019.

 

 

-8-

Nenhum personagem aceitou de imediato gravar. Foi preciso muita articulação da produção e conversas pessoalmente para conquistar os participantes.

 

 

-9-

A famosa rixa entre o boneco Galerito, figura conhecida do Canal Livre, e o vendedor Gil da Esfirra, é mostrada com destaque no episódio de estreia. Aliás isso é um dos memes que mais repercute na internet.

 

 

-10-

Entre os familiares de Wallace, apenas a irmã dele, Marlúcia Souza, e o filho, Willace, dão depoimentos. Os irmãos Carlos e Fausto foram convidados, mas recusaram. Eles aparecem apenas em imagens de arquivo, assim como o filho dele, Raphael Souza.

 

 

-DIREÇÃO-

 

O diretor da série Bandidos na TV (em inglês, “Killer Ratings”), Daniel Bogado, é britânico de origem paraguaia. Documentarista experiente, seus trabalhos anteriores incluem obras dedicadas ao conflito no Sudão do Sul e ao grupo terrorista nigeriano Boko Haram.

É produtor e diretor de vários documentários premiados para grandes emissoras, incluindo BBC e Netflix. É ex-editor da aclama série jornalística “Unreported World”, do Channel 4, o mais antigo do gênero de atualidades estrangeiras da Grã-Bretanha.

Daniel tem bastante experiência em reportar questões de direitos humanos e histórias estranhas e bizarras de todo o mundo.

Em 2012, Daniel ganhou acesso dentro da zona de conflito das montanhas Nuba no Sudão do Sul e obteve provas que expuseram uma campanha secreta do governo sudanês para matar milhares de civis através de bombardeios aéreos e fome forçada.

O filme resultante “Terror in Sudan” ganhou o prêmio Rory Peck, dedicado aos cineastas que trabalham em ambientes hostis e zonas de conflito.

Em 2014, lançou “Guerra Escondida da Nigéria” para o Channel 4 e PBS (chamado nos EUA “The Hunt for Boko Haram”), que revelou que em sua luta contra o Boko Haram, o governo da Nigéria que estava envolvido em uma campanha brutal de retaliação e indiscriminada violência contra civis. O documentário ganhou vários prêmios, incluindo um Emmy de Melhor Jornalismo Investigativo.

Em 2016, trabalhou como produtor e diretor do Episódio 4 (“Politics”) da minissérie “Trump: An American Dream”, produzido pelo Channel e atualmente na Netflix, explorando quatro décadas da vida de Donald Trump através das histórias e perspectivas das pessoas que o conheciam melhor.

Bogado conta que conheceu a história de Wallace Souza quando o caso repercutiu na imprensa internacional, após reportagem do “Fantástico”, da TV Globo. Foram mais de dois anos entre pesquisa e produção, até o lançamento de Bandidos na TV.

Nascida no Rio de Janeiro e criada na Inglaterra, a diretora e produtora da série Bandidos na TV (em inglês, “Killer Ratings”), Suemay Oram é especializada em filmes de observação. Seus documentários visam descobrir narrativas não contadas, torná-las acessíveis e instigantes ao público.

Entre 2017 e 2019, produziu e dirigiu os sete episódios da série original da Netflix, Bandidos na TV. Trabalhou ao lado do diretor de série Daniel Bogado, e dos produtores executivos Eamonn Matthews, Dinah Lord e Alex Marengo.

Em 2016, Suemay dirigiu os dois primeiros filmes da séries sobre narcóticos “Drugs Map of Britain “, para a rede BBC3. Em 2017, dirigiu um dos episódios para a série “Food Exposed with Nelufar Hedayat”, produzido pela equipe vencedora do Oscar da produtora Lightbox.

Outros destaques de sua carreira incluem filmes que destacam o modo como o terrorismo está afetando a vida das pessoas. “Destination Syria”, da BBC, seguiu nove muçulmanos britânicos em uma viagem de dez dias do Reino Unido até a Síria para entregar ambulâncias e ajuda. Também para a BBC, “A Nation Divided? – The Charlie Hebdo Aftermath” analisou como o terrorismo afeta os muçulmanos franceses e suas noções de identidade.

 

-NOTÍCIAS-

 

 

-FICHA TÉCNICA-

 

Produtoras – Caravan, Quicksilver

Diretor de série – Daniel Bogado
Diretora / Produtora – Suemay Oram
Produtores Executivos – Dinah Lord, Eamonn Matthews, Alexander Marengo
Diretor de Fotografia – Will Pugh
Compositor – Beto Villares
Montagem – Livia Serpa, Gregor Lyon, David G Hill
Produtor Assistente e Câmera – Fernando Mitjáns
Pesquisa – Rodrigo Santos
Diretora de Produção – Nimira Velji
Coordenadora de Produção – Daniella Rice
Supervisora de Produção para Quicksilver – Natalie Triebwasser
Supervisora de Produção para Caravan – Ulla Streib
Diretora de Finalização – Almudena Garcia-Parrado
Montagem Adicional – Thomas Kelpie, Raphael Pereira, Mark Towns, Alex Carvalho, Franco Bogino
Música Adicional – Érico Theobaldo
Coordenadora de Tradução – Roberta V Canton
Assistentes de Montagem – Manoela Tavares, Blanca Martín Fuentes
Consultor de Arquivo – Paul Gardner
Assistente de Pesquisa de Arquivo – Alastair Moram
Diretor – Gravações 2009 – Alexandre Bouchet
DIT – Raquel Battersby-Araùjo
Gráficos e Efeitos Especiais – Compost Creative

EQUIPE MANAUS
Produtoras – Wânia Lopes, Hélida Tavares
Produtora Assistente – Ana Sena
Produtora de Locação – Christina Daniels
Gerente de Locação – Carolina Muniz
Operador de Drone – Barney Lankester-Owen
Assistente de Operador de Drone – Pablo Vasconcellos
Fotografia Adicional – Janice D’Ávila
Assistentes de Câmera – Rafael Pessotto, Bruno Pettinelli, Marcos Pereira ‘Casqueta’
Técnicos de Som – Heverson Batista, Elionai Dias
Assistente de Som – William Daurício
Assistentes de Produção – Ana Oliveira, Felipe Wanderley
Seguranças – Israel Rocha, Deocleciano Conceição Silva

RECONSTITUIÇÃO DRAMÁTICA – RIO DE JANEIRO
Diretor – Marcelo Galvão
Primeiras Assistentes de Direção – Renata Schiavini, Duda Medeiros
Segunda Assistente de Direção – Marília Gurgel
Terceiras Assistentes de Direção – Nanda Castro, Paula Lima
Diretor de Fotografia – Jacques Cheuiche, ABC
Operador de Câmera – Lucas Loureiro
Diretor de Produção – Peter Miller
Diretor de Produção para Terra Vermelha Filmes – Gideon Boulting

PÓS-PRODUÇÃO
Serviços de Pós-Produção – Halo Post Production
Produtora de Pós-Produção –  Karen Kavanagh
Supervisora de Pós-Produção – Louisa Sutherland-Smith